Aqui você vai descobrir como aliviar a azia na gravidez, afinal, a gestação é recheada de sintomas desagradáveis.

E a azia, junto com enjoos e sonolência, é um dos sintomas mais desconfortáveis da gestação.

Você sabe que tudo que vale a pena na vida vem com sacrifícios, não é mesmo?

E, é claro que você não pensou que a maior dádiva que alguém poderia receber seria fácil de conseguir.

Afinal, desde as tentativas para gravidez (para quem planejou) até o nascimento do bebê, a mãe passa por uma série de incômodos.

Mas, uma coisa é certa: vale a pena.

É incrível como que um bebê pode mudar tudo.

Nós sempre soubemos que somos fortes e determinadas.

Mas, quando você passa por um período de gestação, você começa a perceber que é mais forte e determinada do que você imaginava.

E isso é ótimo!

Pois, esse sentimento vai ser muito útil para você exercer a sua maternidade de uma forma mais confiante.

Então, continue por aqui e você vai saber como enfrentar esses momentos de azia na gestação.

Fique sabendo:

– O que provoca a azia na gravidez?

– Quando começa a azia na gravidez?

– Como aliviar a azia na gravidez?

– Quando procurar ajuda médica?

– Qual remédio para azia na gravidez?

 

Quer saber mais sobre a gestação?

Já pensou em fazer um curso sobre isso?

MAMÃE COMPLETA GESTANTES

 

O que provoca a azia na gravidez?

 

Ah, essa alteração hormonal!

Você já percebeu como os níveis de hormônio interferem na vida da gestante?

Eles causam os enjoos, sonolência e até mesmo a depressão pós-parto.

E com a azia não é diferente.

Nesse caso o hormônio culpado é a progesterona.

Ela é responsável por relaxar a musculatura do útero.

Isso é muito importante durante a gestação, pois permite que o útero cresça e o bebê tenha espaço suficiente.

Mas, é claro que isso vai influenciar em outros órgãos, incluindo o estômago.

Nesse caso, a progesterona afrouxa a válvula que controla a entrada de alimentos.

E uma porta que deveria ser somente de entrada, acaba sendo uma porta de saída também.

Ou seja, o bolo alimentar (que é bem ácido), acaba retornando ao esôfago.

Isso causa aquela sensação de queimação.

 

A progesterona também faz com que a digestão seja mais lenta e também acumula gases estomacais.

Isso também causa a azia na gravidez.

 

Além de tudo isso, o útero e o bebê cada vez maiores deixam pouco espaço para outros órgãos.

Com o estômago comprimido, a capacidade dele fica menor.

Então, quando ele está muito cheio, pode ocorrer um retorno ao esôfago.

E, então, você sente aquela queimação, a tão temida azia.

 

E o bebê cabeludo causa azia na gravidez?

 

Não, essa não é a causa da azia na gravidez.

Você vai encontrar mães de bebês carequinhas que tiveram azia.

E mães de bebês cabeludos que não tiveram.

A causa está relacionada ao aumento da progesterona e do tamanho do útero.

 

Quer saber mais sobre enjoo na gravidez? Clique no botão baixo

COMO ALIVIAR ENJOO NA GRAVIDEZ

 

Quando começa a azia na gravidez?

 

Algumas mães já começam a sentir a azia no primeiro trimestre.

Mas, ela é mais comum a partir do segundo trimestre.

Não pense que a azia na gravidez é exclusiva de mulheres que já sentiam azia antes.

Não existe regra para esse sintoma.

Algumas mães sentem e outras não.

E se você não sentiu na primeira gestação, não quer dizer que não irá sentir na segunda.

Ou vice-versa. Cada gestação é única, assim como cada filho é único (mesmo tendo irmãos).

A azia pode durar pouco tempo para algumas gestantes.

Mas, a notícia ruim é que na maioria dos casos ela dura até o nascimento do bebê.

 

Quer saber mais sobre sono na gravidez? Clique no botão baixo

SONO NA GRAVIDEZ

 

10 dicas de como aliviar a azia na gravidez

 

Se você faz parte do grupo de gestantes que sentem esse sintoma, então você precisa de algumas dicas para amenizar a azia.

A azia é algo chato e incômodo.

Em alguns casos atrapalham até a alimentação da gestante.

Então, siga lendo esse artigo e veja 10 dicas de como aliviar a azia na gravidez.

 

1.      Evite alimentos gordurosos e ácidos

 

Nada vai aliviar mais a azia na gravidez que a mudança na alimentação.

Comendo alimentos mais leves você vai facilitar o trabalho do estômago.

Os alimentos leves são mais fáceis e mais rápidos de serem digeridos.

Dessa forma, o estômago não é sobrecarregado e o alimento não retorna ao esôfago.

 

Existem alimentos que prejudicam o bom funcionamento do estômago.

Principalmente os alimentos ácidos.

Então evite:

– molho de tomate

– mostarda

– condimentos

– nozes

– frutas cítricas

– café ou cafeína

– chocolate

– refrigerante

 

2.      Coma pouco e mais seguido

 

O estômago não vai conseguir digerir uma grande quantidade de alimento.

Pois, a sua capacidade está diminuída pelo pouco espaço que o útero crescido está proporcionando.

Então, divida a quantidade de alimento em porções menores ao longo do dia.

Assim, o estômago conseguirá digerir as pequenas porções, sem ter o retorno do suco gástrico.

 

3.      Mude a alimentação

 

Assim como você deve evitar alguns alimentos você deve acrescentar outros na sua dieta:

  • Amêndoas: ricas em óleos que ajudam a acalmar os níveis de ácido.
  • Água de Coco: A água de coco ajuda a neutralizar os ácidos do estômago.
  • Sementes de Erva Doce (Funcho): Sementes de erva doce ajudam a melhorar a digestão.
  • Vinagre de Maçã: O vinagre de maçã atenua a mucosa do estômago e neutraliza os efeitos de alimentos geradores de ácido. Dilua uma colher de sopa de vinagre de maçã em um copo de água e beba esta solução para reduzir os sintomas da azia.
  • Gengibre: O gengibre é um popular auxiliador da digestão.
  • Mel e Leite: Consumir uma mistura de mel e leite pode ajudar a melhorar seu poder digestivo, além de acalmar o estômago. Mas, procure consumir leite desnatado.
  • Vegetais, frutas e grãos integrais: facilitam a digestão e melhoram a flora intestinal.
  • Iogurte natural:  facilitam a digestão e melhoram a flora intestinal.
  • Bolacha água e sal: esse tipo de alimento é capaz de absorver o ácido em excesso.

 

O mamão papaia é ótimo para combater a azia.

Mas, na gestação pode provocar contrações uterinas.

Então, não é indicado.

 

4.      Mastigue bem

 

A digestão já começa na boca.

Quanto mais triturado o alimento que o estômago receber mais rápido será a digestão.

A ideia é sempre facilitar o trabalho do estômago para evitar uma sobrecarga e a azia.

 

5.      Não deite após as refeições

 

Um cochilo após o almoço é muito bom.

Mas, para evitar a azia você vai precisar esperar pelo menos 1 hora até ir se deitar.

A posição deitada facilita o retorno do alimento.

 

6.      Ingira algo gelado

 

É bem comum as grávidas optarem por leite gelado.

Essa é uma boa escolha, desde que o leite seja desnatado.

Pois, o leite integral é muito gorduroso e pode acabar piorando a azia.

Mas, você pode optar por:

– água

– sucos (menos os cítricos)

– picolés de frutas (menos as cítricas)

– gelo

O alimento ou bebida gelada ajuda a diminuir a sensação de queimação.

 

7.      Evite líquidos durante a refeição

 

Seu estômago está com uma capacidade menor.

Ingerindo líquido nas refeições vai facilitar o retorno do alimento pela falta de espaço.

 

8.      Masque chiclete após as refeições

 

Você quer aliviar a azia na gravidez, mas não quer aumentar a glicose nem ganhar uma cárie de brinde.

Então, dê preferência aos chicletes sem açúcar.

A mastigação estimula a salivação.

E a salivação neutraliza os ácidos do estômago.

 

9.      Eleve o tronco para dormir

 

Se você já começou a procurar colchão para berço você já percebeu que existem modelos antirrefluxo.

Esses modelos são elevados na cabeceira.

Isso, porque dessa forma diminui a possibilidade do retorno do suco gástrico.

Com você não é diferente.

Você vai precisar de uma cabeceira mais alta para evitar que o suco gástrico retorne.

É claro que comprar um colchão novo não é necessário.

No seu caso, você pode usar muitos travesseiros e almofadas.

No caso do bebê, essa não é uma opção.

Pois, ele pode sufocar com os travesseiros e almofadas.

Por isso, que para eles é preciso o colchão.

 

 

10.      Use roupas confortáveis

 

Eu sei que uma grávida quer exibir o barrigão.

E aquelas blusas que marcam o começo da barriga são ótimas para isso.

Mas, cuidado!

Não use nada que aperte a barriga e a região do estômago.

Procure usar modelos mais soltos que dê espaço para o estômago.

Afinal, espaço é que ele mais precisa nesse momento.

 

Quando procurar o médico?

 

Nós sabemos que a azia é um sintoma comum na gestação.

Aqui você já viu 10 dicas de como aliviar a azia na gravidez.

Mas, preste atenção em outros sintomas associados.

Pois, pode ser o caso de procurar ajuda médica.

 

– se você não está conseguindo se alimentar: cuidado com a perda de peso.

– se você está sentindo azia com dor intensa: pode ser uma gastrite, úlcera ou outra causa digestiva.

– se você está sentindo dor abaixo das costelas: pode ser um sinal de pré-eclâmpsia.

– se você está sentindo dor no lado direito e no alto da barriga: pode ser algum problema de fígado comum na gestação. Principalmente se apresentar enjoo junto.

 

Quer saber mais sobre depressão pós-parto? Clique no botão abaixo

DEPRESSÃO PÓS-PARTO

 

Qual o remédio para azia na gravidez?

 

Se você seguiu todas as 10 dicas de como aliviar a azia na gravidez e nenhuma deu certo.

Então, converse com seu médico.

Ele vai indicar o melhor medicamento para aliviar esse sintoma.

Lembre-se que qualquer medicamento que você tomar deve ser prescrito pelo médico.

Sem estar grávida já deve ser assim.

Na gestação esse cuidado deve ser ainda maior.

 

 

Experiência de mãe

 

Eu nunca tinha sentido azia na minha vida.

Até o terceiro trimestre da gestação da minha segunda filha.

Na verdade, demorei a perceber que aquela sensação era a tal da azia.

Eu não fazia ideia como era.

Até que comecei a explicar para a minha mãe a sensação que sentia.

Pode rir. Mas, eu disse que parecia que tinha engolido um Halls preto.

Quando eu me escutei falar que eu percebi do que se tratava.

É claro que não fui uma mãe sortuda e a azia durou até o nascimento da Olívia.

Na época eu procurei dormir com a cabeceira mais elevada e usava roupas bem confortáveis.

E, nenhuma das minhas duas filhas nasceram cabeluda.

Nem a Ester com a gestação sem azia.

E nem a Olívia, mesmo com toda a azia que eu senti.

Elas nasceram com as mesmas características.

Mas, é claro que mesmo com toda azia, enjoo, sonolência, câimbras, eu amei as minhas gestações.

E amo mais ainda as minhas filhas.

Valeu a pena cada incômodo.

 

Gostou do artigo?

Deixa um comentário e nos segue no Instagram e YouTube.

E bem-vinda ao mundo da maternidade.