Maternidade e Trabalho eram duas palavras que não costumavam andar juntas.

Mas, atualmente é normal as mães trabalharem fora.

E a volta ao trabalho após a licença-maternidade por ser algo difícil e doloroso.

Algumas mulheres optam por serem mães em tempo integral.

Outras, por necessidade ou não, retornam ao trabalho logo após a licença maternidade.

Para essas mães os sentimentos são ambíguos e intensos.

Afinal, tudo é novo e aquele bebezinho chegou para mudar tudo na sua vida.

Principalmente a sua rotina.

Infelizmente nem todas as mães têm o direito da licença-maternidade de 6 meses.

Ideal para a amamentação exclusiva.

Algumas têm o direito da licença-maternidade por 4 meses.

E as que trabalham por conta muitas vezes conseguem passar só um período curto de tempo exclusivamente com os seus bebês.

 

Não sei qual é o seu caso.

Mas, todas essas mães sentem as mesmas angústias e inseguranças na hora de voltar ao trabalho.

E todas elas têm as mesmas dúvidas:

– Como conciliar maternidade e trabalho?

– Onde deixar meu bebê quando voltar a trabalhar?

– Como preparar meu bebê para a volta ao trabalho?

– Como voltar a trabalhar e continuar amamentando?

 

Essas são dúvidas comuns e normais nesse período tão lindo e conturbado ao mesmo tempo.

Continue lendo esse artigo e você terá uma ideia melhor de como voltar a trabalhar de uma maneira menos traumática para você e para seu bebê.

 

Como conciliar maternidade e trabalho?

 

Essa é a primeira e principal pergunta das mães.

Algumas optam por não retornar ao trabalho.

Mas, não são todas as mães que têm essa possibilidade.

É preciso ter uma renda familiar bem estável para conseguir ficar em casa com o seu bebê.

Algumas mães conseguem diminuir o ritmo de trabalho após a maternidade.

Essa é uma opção bem interessante.

Mas, também não são todas as mães que conseguem adaptar o seu tempo.

Outras mães, mesmo tendo a possibilidade de ficar com o seu bebê preferem retornar ao trabalho.

Também vão existir mães que vão precisar retornar ao trabalho antes mesmo do término da licença-maternidade.

Pois, são donas do seu próprio negócio.

Realidades diferentes de mães diferentes.

Então, aqui vai uma dica:

Não se compare com as outras mães.

A sua realidade e os seus sentimentos são só seus.

Você se conhece e conhece o seu bebê melhor que qualquer outra pessoa.

Muitos vão te julgar por voltar a trabalhar e muito vão te julgar por não voltar.

Então, lembre-se sempre:

A decisão é sua!

 

Vai retornar ao trabalho?

 

Se essa já é uma questão fechada e a volta ao trabalho é certa…

Você pode seguir algumas dicas:

 

– Organize-se

 

Você vai precisar ter uma rotina para:

– amamentação (se for o caso)

– trabalho de casa (criança suja muita roupa)

– alimentação (vai cozinhar em casa ou comer fora?)

– auto-cuidado (não sobra muito tempo, mas é importante)

 

Então, pense bem como vai organizar tudo antes de voltar ao trabalho.

Veja quantas horas vai trabalhar por dia e tente deixar tudo planejado.

E não se desespere se algum plano não der certo.

É só se reorganizar.

E para tudo isso, você vai precisar da segunda dica:

 

Peça ajuda

 

Isso mesmo!

Às vezes achamos que somos supermulheres e que damos conta de tudo sozinha.

Mas, isso não é verdade e seu bebê precisa de você saudável.

Então, divida as tarefas com o pai do bebê.

Se isso não for possível, tenha em mente que vai precisar de alguém que te dê um suporte.

Pode ser sua mãe, pai, irmã, irmão, tia, prima, amiga, qualquer pessoa que ajude a você a dar conta de todas as novas tarefas.

Melhor seria que você pudesse contar com mais de uma pessoa para isso.

 

Não se desespere

 

A vida de mãe não é fácil.

É linda e gratificante.

Mas, fácil com certeza não é.

Seja da mãe que fica 100% do tempo com o filho ou daquela que sai para trabalhar fora.

Então, em alguns momentos você pode dar uma “surtada”.

Mas, calma.

Esse período mais turbulento fica mais calmo com o passar dos anos.

Aos poucos seu bebê vai crescendo e se tornando um pouco mais independente.

E você vai poder ter um pouco mais de tempo.

Então, você vai começar a perceber como tudo valeu a pena.

 

Onde deixar meu bebê quando voltar a trabalhar?

 

Essa é uma dúvida bem comum também.

E você vai ter algumas opções.

Algumas pagas e outras não.

– Avós

– Parentes

– Babá

– Creches/berçários

 

Avós e parentes

 

Para algumas mães já está estabelecido há muito tempo: com a avó.

Pode ser materna ou paterna.

Não é nada anormal encontrar as avós cuidando dos netos enquanto as mães trabalham.

Mas, pela relação próxima pode acontecer alguns desentendimentos.

Então, procure manter uma comunicação clara.

O bebê também pode ser cuidado por outro parente próximo: tia (o), prima (o) ou até mesmo uma amiga sua.

 

Vantagens:

 

– geralmente não é pago

– aumenta o vínculo familiar

– normalmente é a pessoa que você mais confia

 

Desvantagens:

 

– talvez algumas orientações não sejam seguidas

– avós tendem a “mimar” os netos

 

Mas, claro que nada disso é regra.

Então, pense bem como é sua relação com essa pessoa.

Acha que pode dar certo?

É uma excelente opção (eu considero a melhor).

 

– Babás

 

Seu bebê também pode ser cuidado por alguém que você vai pagar para isso.

Nesse caso é muito importante que essa pessoa seja recomendada ou indicada por alguém de sua confiança.

Provavelmente ela vai ficar sozinha com o seu bebê e deve ser alguém que já tenha experiência com isso.

 

Vantagens:

 

– você poderá dar orientações e cobrar que sejam feitas

– seu bebê terá atenção exclusiva durante o período de trabalho

 

Desvantagens:

 

– alto custo

– vai demorar um pouco para adquirir uma relação de confiança

 

– Creches/berçários

 

Nesse caso o seu bebê vai ter um convívio com outras crianças.

É muito importante que você veja a segurança do local (escadas e desníveis).

E também se o ambiente é arejado e limpo.

O interessante desses locais é que o seu bebê é acompanhado por profissionais.

Então, vai receber bastante estímulo para o seu desenvolvimento.

E claro que a localização também vai contar para otimizar o seu tempo.

 

Vantagens:

 

– seu bebê já vai aprender a conviver com outros bebês

– estímulo de desenvolvimento

 

Desvantagens:

 

– custo

– não será você que vai organizar a rotina

– vai demorar um pouco para adquirir uma relação de confiança

 

Como preparar meu bebê para a volta a trabalho?

 

A volta ao trabalho não vai ser uma tarefa fácil.

Nem para você e nem para o seu bebê.

Mas, você vai poder amenizar se já for preparando o seu bebê com o tempo.

Para isso, você deve ir acostumando o seu bebê com a pessoa que vai ficar com ele.

 

Em caso de parentes ou babás, algumas semanas antes do retorno você combina de deixar o bebê por uma hora.

E vai aumentando esse tempo até que ele já esteja acostumado sem você durante todo o período que você estiver trabalhando.

 

Optou por creches/berçários?

Então não deixe para fazer a matrícula um dia antes.

Procure com antecedência (de 2 a 3 semanas) e siga as orientações dada pelo local.

 

Quer saber mais? Clique aqui.

 

Maternidade e Trabalho: a hora da despedida

 

O coração fica apertado.

É normal, ser mãe é assim mesmo.

Não é o primeiro e nem será o seu último desafio.

Nós somos um turbilhão de sentimentos.

Mas, algo tem que ficar bem claro: fique firme.

Sei que é difícil.

Mas, se você não se mantiver firme e calma na hora da despedida o seu bebê também não vai ficar.

Então, não chore (espere sair na rua para isso).

E não saia de fininho.

Seu bebê precisa confiar em você.

Então, de uma forma clara e calma diga que você vai sair um pouco para trabalhar e vai voltar.

Ele vai estranhar e chorar no início.

Dê um beijo e saia.

Se sentir culpada vai ser normal no início.

Mas, essa culpa vai diminuído quando o seu bebê começar a perceber que você vai, mas volta.

E uma outra dica:

Não dê presentes.

Algumas mães tentam amenizar o sentimento de culpa recompensando com presentes.

Mas, será que você sempre vai conseguir levar presentes?

O bebê pode se acostumar com isso.

Então, troque o presente por carinho.

Quando voltar encha seu bebê de beijos, cócegas e muito carinho.

 

– Maternidade e Trabalho: como voltar a trabalhar e continuar amamentando?

 

Infelizmente nem todas as mães conseguem ficar os 6 meses da amamentação exclusiva com o seu bebê.

A licença-maternidade normalmente é de 4 meses.

Se você amamenta o seu bebê vai precisar se organizar para poder continuar amamentando mesmo depois da volta ao trabalho.

Mas, a boa notícia é que até os 6 meses você tem direito a sair 30 minutos antes de cada turno que você trabalhar.

Esse benefício é para dar tempo de você amamentar o seu bebê durante o seu intervalo.

Não é o suficiente, mas já ajuda.

 

Quer manter a amamentação exclusiva até os 6 meses?

 

Algumas mães optam por oferecer fórmulas para o seu bebê no retorno ao trabalho.

Mas, o ideal para o seu bebê é que você siga com a amamentação exclusiva até os 6 meses.

 

Para saber mais sobre amamentação: clique aqui.

 

Para manter essa amamentação sem fórmulas você vai precisar de organização.

Antes de voltar a trabalhar comece a tirar o leite e armazenar no congelador.

Esse processo deve começar 15 dias antes do retorno.

Pois, o leite materno só poderá ficar congelado por esse período.

Etiquete os recipientes para saber a data de validade.

Deixe o leite separado conforme a necessidade do dia.

Descongele na geladeira 24h antes de serem usados.

Para tirar o leite você vai precisar de um extrator de leite.

 

Veja diferentes modelos de extrator de leite aqui.

 

Para saber mais sobre como congelar leite materno: clique aqui.

 

E para evitar constrangimentos com o vazamento de leite no trabalho.

Você vai precisar usar ou conchas ou absorventes de seios.

 

Se utilizar as conchas para seios:

Cuide para não vazar quando se inclinar.

Vá algumas vezes ao banheiro para esvaziar.

 

Se utilizar absorvente de seios:

Use uma pomada de lanolina para manter os mamilos hidratados.

Não reutilize.

 

Experiência de Mãe

 

O nascimento de um filho é algo único.

Muda toda a nossa vida e nossa rotina.

Mas, não conseguimos não ficar agradecidas por essa loucura que nossas vidas se tornaram.

A maternidade e trabalho faz parte dessa rotina conturbada.

A minha volta ao trabalho foi gradual.

Eu trabalhava com carteira assinada durante um turno e no outro turno eu trabalhava por conta.

Então, fui retornando aos poucos quando a minha bebê estava com apenas 1 mês de vida.

Deixava o leite na geladeira e saía com o coração apertado.

Quando ela estava com 4 meses a licença-maternidade terminou e eu precisei retornar por um período inteiro.

No meu caso ela ficava com a minha mãe e nós temos uma relação muito boa.

Foi bem tranquilo e eu amo como ela é apegada com os avós.

Mas, confesso que não foi fácil.

O sentimento de culpa é normal mesmo e diminui com o tempo.

Agora, não tem coisa melhor que chegar em casa e ver aquele sorriso e aquelas perninhas que não param de tanta felicidade.

 

Gostou do artigo?

Deixa um comentário e nos segue no Instagram.

E bem-vinda ao mundo da maternidade.